JORNAL FOLHA DE NEGÓCIOS, SEMPRE UM BOM NEGÓCIO - TEL:(32)3331-9521

Galeria Blog

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

De Onde Vem a Expressão Bebê?




De acordo com o Dicionário Aurélio, a palavra vem de Bébé, apelido de um anão francês que ficou famoso em seu país no século XVIII: Nicholas Ferry (1741-1764). Vindo de uma família de camponeses muito pobres, Bébé nasceu com apenas 24 centímetros e, aos 15 anos, não tinha mais que 70 cm de altura. Seus irmãos também eram anões, mas foi Bébé quem atraiu a atenção de Stanislaw Leszczynski, rei da Polônia, que na época governava as regiões francesas de Barrois e Lorena. O monarca ficou tão encantado com o homenzinho que pediu ao pai da criança que a deixasse viver na corte. Bébé dançava e cantava para entreter os convidados, mas nunca conseguiu aprender a ler corretamente, tanto que pronunciava todas as consoantes como se fosse a letra "b", e tomou tanto gosto pelo som da letra que a usava para designar qualquer objeto. Daí seu apelido. Bébé morreu aos 23 anos de idade, provavelmente de tristeza, após a morte de seu melhor amigo, um garotinho chamado Zizi.

Fonte: Guia dos Curiosos

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Suco de Laranja Associado a Exercícios Físicos Traz Benefícios à Saúde



A ingestão de suco de laranja associada à prática de exercícios físicos pode trazer vários benefícios para a saúde do organismo como um todo, ao coração e no desempenho físico ou performance, como comprovado pela pesquisa desenvolvida na Tese de Mestrado de Nancy Preising Bonifácio, sob orientação da Profa. Dra. Thais B. César da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da UNESP de Araraquara- SP.



De acordo com a pesquisa, realizada com trinta mulheres previamente sedentárias que recebiam diariamente 500 mililitros de suco de laranja e realizavam exercícios aeróbios por 50 minutos, 3 vezes por semana, durante 3 meses, a ingestão de suco de laranja associado ao exercício regular trouxe excelentes resultados.



As mulheres reduziram 30% em média a quantidade de gordura corporal devido ao exercício, enquanto a ingestão prévia do suco de laranja antes da caminhada diminuiu a concentração de ácido lático no sangue. Esta substância é liberada normalmente durante a prática do exercício moderado ou intenso podendo levar a fadiga. Este efeito benéfico do suco pode ser atribuído à vitamina C e aos flavonóides cítricos, presentes no suco de laranja e que previnem a doença cardíaca e o câncer. Além disso, as voluntárias do estudo tiveram um aumento de 18% no colesterol de HDL, ou bom colesterol, e uma redução de 15% no LDL, conhecido como colesterol ruim.



O suco de laranja ainda forneceu carboidratos, que no corpo são transformados em energia ou armazenados como glicogênio, uma forma de açúcar do fígado que posteriormente é utilizado para a atividade física.



O estudo indica que os atletas e adeptos de exercícios físicos que desejam melhorar seu desempenho podem utilizar o suco de laranja para repor a energia gasta na atividade e para a re-hidratação corporal. Ainda mais, a vitamina C do suco, é um antioxidante natural que auxilia o organismo a remover os radicais livres produzidos pelo exercício.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Açaí



Uma fruta característica da Região Norte do Brasil, e bastante procurada por quem pratica exercícios físicos, vem conquistando cada vez mais os adeptos de uma vida saudável e, principalmente, as pessoas preocupadas em cuidar da saúde. O açaí é o fruto da Euterpe oleracea, ou simplesmente açaizeiro: palmeira tipicamente encontrada na Amazônia.

O açaí é de sabor naturalmente amargo, tem sido objeto de inúmeras pesquisas científicas cujos resultados apontam para um elevado valor nutricional. Quem aprecia a fruta concentrada ou in natura não imagina que o seu consumo garante uma boa quantidade de vitaminas e de antioxidantes, que atuam diretamente na eliminação dos radicais livres.

Esse fruto pode ser consumido em sucos, sorvetes, picolés, doces, ou semente a sua polpa. Nesse caso, alguns preferem com um pouco de açúcar, outros, com farinha; ou até mesmo com peixe assado ou camarão! Cem gramas da polpa do açaí contém cerca de 250 calorias , vitaminas C, B1 e B2, fósforo, ferro e cálcio.

O pigmento responsável pela coloração típica de nossos dentes, após ingerir o açaí, é chamado de antocianina, sendo ele responsável pelo combate de radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce. O consumo contínuo da polpa do açaí também reduz as chances de doenças do coração, artrite e obesidade. Quanto a este último fator, vale lembrar que acontece em casos de ingestão moderada, já que é um alimento calórico.

Essas características, aliadas a grande quantidade de fibras e proteínas em geral que possui, faz a polpa do açaí um alimento muito utilizado e indicado para atletas, após o treino.
Os antioxidantes presentes na polpa neutralizam a oxidação na parte externa das células, e a presença dos minerais Cálcio e Ferro na composição conferem a este alimento uma fonte benéfica para ossos e cartilagens, além disso o fruto auxilia nas funções da memória, reposição energética e transito intestinal.
O açaí possui elevado teor de antocianinas, as quais garantem melhor circulação sangüínea e protegem o organismo contra o acúmulo de placas de gordura.


1)Possui elevada quantidade de vitamina E; logo é um antioxidante natural e ajuda a combater os radicais livres;
2) É rico em fibras e dessa forma ajuda no trânsito intestinal;
3) É riquíssimo em ferro, mineral importante ao corpo e que combate a anemia;
4) Tem um teor considerável de proteína, elemento que age na reparação e construção de tecidos e são essenciais nas dietas para perder gordura;
5) Tem grande concentração de cálcio, que é essencial na formação dos ossos e dentes;
6) Possui um índice elevado de vitamina B1, que além de ajudar no estímulo do apetite, garante o bom funcionamento do sistema nervoso;


Os extratos secos apresentam uma maior concentração e padronização dos ingredientes ativos presentes no fitoterápico. Permitindo uma posologia simplificada com a ingestão de um menor número de cápsulas para se alcançar a dose terapêutica.

Um Suplemento Alimentar. Indicado por suas propriedades cardiotônicas, estimulantes do sistema nervoso central (SNC), aumentar o poder de concentração, estimular nos casos de cansaço, fraqueza em geral, indisposições e estresse físico e mental, beneficiar a circulação do sangue, combater os radicais livres.

Sugestão de uso do Açaí: 1 Cápsula de 500 mg 2 vezes ao dia
Contra cansaço físico e mental aconselha-se tomar Açaí com guaraná onde teremos um efeito mais rápido.

Mais informações: Farmácia Magistral, telefone:(32)3333-0594

Fonte: Farmácia Magistral

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Tire Dúvidas Sobre Radares de Fiscalização de Velocidade.


Há pouco mais de um mês, vias urbanas e rodovias brasileiras não são mais obrigadas a ter placas alertando para a existência de radares fixos e móveis. Uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que entrou em vigor em 22 de dezembro passado derrubou a exigência existente desde 2006. No entanto, os equipamentos de fiscalização não podem ficar escondidos.


As placas de velocidade máxima continuam existindo. Na cidade, elas são obrigatórias nas vias fiscalizadas. Na estrada, quando não houver aviso, valem os limites previstos no Código de Trânsito Brasileiro, de limite máximo de 110 km/h para carros, caminhonetes e motos.

A norma do Contran mudou ainda a exigência de estudo prévio para radares móveis em rodovias. Agora, qualquer ponto pode ser fiscalizado. Além disso, tais aparelhos podem ser instalados mesmo em trechos de rodovias sem sinalização da velocidade máxima permitida. “Os radares móveis servem para resolver problemas pontuais, como obras e operações de feriados, que exigem a fiscalização imediata, mas não necessariamente permanente”, explica o conselheiro Jerry Dias, do Contran.

O argumento do Contran para a mudança é tentar reduzir o número de acidentes, já que muitos motoristas aproveitavam o aviso dos radares para ultrapassar a velocidade máxima permitida em pontos não cobertos pelo equipamento. E, pior, quando avistam o radar, freiam bruscamente. A obrigatoriedade das placas foi exigida até 2003, quando uma resolução suspendeu a regra, que só passou a vigorar novamente há 5 anos.

“Algumas pessoas falam que a mudança visa colaborar com a ‘indústria das multas’, mas para a nossa visão, do Contran, só existe indústria de multa quando há infratores. Quem conduz dentro da lei não corre o risco de tomar multa. As velocidades máximas devem ser respeitas pela própria segurança das pessoas. Cabe ao cidadão fazer a sua parte”, afirma Dias.
Dias esclareceu algumas dúvidas sobre radares; veja abaixo perguntas e respostas:


A nova lei dispensa somente as placas de aviso de radares de velocidade máxima? Sim. Com a nova lei, as placas de aviso de radares de velocidade não são obrigatórias. Com isso, o que o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) quer é que o condutor tenha o hábito de respeitar o limite de velocidade.

Quando as placas de indicação de velocidade são obrigatórias nas vias? Para a fiscalização por meio de radares de velocidade valer, as placas com a indicação de velocidade máxima são obrigatórias apenas nas cidades, porque são vias onde o condutor não consegue classificar de acordo com o que está no Código de Trânsito Brasileiro, que estabelece limites para ruas, avenidas, alamedas, vias de acesso etc. No entanto, as estradas podem ser fiscalizadas sem a existência de placas de velocidade, já que o tipo de via é claro. De acordo com Artigo 61 do Código, quando não há placas de velocidade máxima em rodovias, o limite máximo para automóveis, caminhonetes e motocicletas é de 110 km/h. Já o limite para ônibus e microônibus é de 90 km/h. Veículos de carga, como caminhões, podem rodar em, no máximo, 80 km/h.

O que fazer quando receber uma multa por exceder o limite na cidade em um local onde não há placas de velocidade? Primeiramente, a pessoa deve recorrer da multa ao Detran local, conforme estabelece o Denatran. Para ter provas, é aconselhável a anexação de fotos do local. Se, mesmo assim, a multa não for cancelada, é preciso acionar órgãos de defesa do consumidor como o Procon ou até mesmo o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) do Ministério da Justiça.

Placas com redução de velocidade são obrigatórias próximas a lombadas eletrônicas? Sim. Como a finalidade das lombadas eletrônicas é de que as pessoas reduzam a velocidade, há a obrigatoriedade da sinalização informando os novos limites.

A nova resolução permite que radares fiquem escondidos? Não, pelo contrário. A operação do radar tem que estar visível, o equipamento não pode estar escondido. Ou seja, “pegadinhas” são contra a lei.

Todas as multas de velocidade precisam apresentar a foto do veículo no ato da infração? De acordo com a lei, os radares fixos e estáticos para controle de velocidade e a lombada eletrônica devem tirar, obrigatoriamente, fotos do veículo durante a infração.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Qual é o Melhor Negócio: Moto 0 km ou Moto Seminova?



Uma dúvida que aflige diversos motociclistas é: comprar uma moto 0 km ou seminova? A 0 km tem muitas vantagens quanto à segurança e garantia. Porém, no caso das seminovas, segundo especialistas, antes de comprar uma moto de segunda mão, desde que esteja em bom estado geral, é levá-la para ser avaliada por um mecânico de confiança.

A aparência vai revelar o cuidado que o atual dono teve com a moto. Por isso, a melhor maneira de descobrir o estado geral é ver se há pontos de ferrugem, raspões, riscos, trincas, manchas, opacidade dos componentes, peças e acessórios soltos e desregulados, dentre outros. Procure também por soldas feitas recentemente e desconfie se a moto antiga estiver com a pintura muito nova, o que pode ser sinal de reforma.


Outra maneira de descobrir possíveis indícios de tombo ou batida, é checar o estado de guidão, manetes, retrovisores, escapamentos, lanternas e demais acessórios, que não podem conter riscos ou trincas. “Caso a moto estiver com qualquer um destes defeitos, aconselho a desistir da compra, pois é um forte sinal de que ela já tenha sofrido uma colisão. Qualquer desalinhamento de rodas ou suspensão, ainda que leves, no futuro pode trazer consequências ao novo proprietário”, aconselham especialistas ouvidos pela Folha de Negócios, no mês de fevereiro.

Além disso, os especialistas aconselham a fazer um test drive, pois através dele é possível notar alguns problemas com desalinhamento. “Uma moto com o quadro ou suspensão empenada tende a inclinar para um dos lados ao virar o guidão e, futuramente, vai comprometer outros componentes como os pneus que vão desgastar com mais facilidade em um dos lados”, explicam.

Por falar neles, verifique se há desgastes irregulares, ou seja, o lado esquerdo mais gasto que o direito, por exemplo. O desgaste tem de ser uniforme na parte central do pneu, tanto o dianteiro, quanto o traseiro.


Outro ponto fundamental é a parte elétrica. Peça ao vendedor retirar todos os componentes que cobrem o chicote elétrico, como o assento e a carenagem plástica. A fiação precisa estar em ordem e sem emendas ou descascadas. É interessante aproveitar para testar o funcionamento dos faróis, luzes repetidoras de direção (setas), luz de freio e buzina, completa.


Para avaliar o sistema de escapamento, a melhor forma é ligar a moto, para verificar ruídos excessivos no funcionamento, o que pode indicar furos nos canos. Evite comprar as unidades com escapamento esportivo, pois as chances de serem reprovadas em uma inspeção veicular obrigatória, se houver no seu estado ou cidade, serão grandes.

Entretanto, nem sempre a boa aparência é garantia de uma aquisição segura. É importante observar as motos muito rodadas. Atenção também para a quilometragem e as motos pouco rodadas, pois pode haver indício de adulteração do hodômetro. Os especialistas recomendam ainda, àqueles interessados em adquirir motos novas ou seminovas, procurar revendas autorizadas, pois assim a negociação fica mais segura.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Prefeitura Irá Garantir Aluguel Social para Vítimas das Chuvas



A prefeita Danuza Bias Fortes sancionou no último dia sete, a Lei Nº 4.398, que regulamenta a concessão do Auxílio Moradia às famílias barbacenenses que tiveram seus imóveis interditados, destruídos ou parcialmente destruídos em decorrência dos fortes temporais que caíram na cidade nas últimas semanas.

Denominado também Aluguel Social, o auxílio é uma categoria de benefício eventual, modalidade de provisão de proteção social básica de caráter suplementar e temporário, que integra o Sistema Único de Assistência Social (SUAS).
Limitado ao valor de até R$ 400,00 por família com renda mensal de até três salários mínimos, o benefício temporário será destinado por um prazo máximo de seis meses para aqueles que se enquadrarem nos critérios dispostos na lei, após apresentarem laudo técnico da Defesa Civil atestando a interdição do imóvel.
A partir das informações colhidas pela Defesa Civil durante a interdição do imóvel, a Prefeitura de Barbacena, por intermédio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Ação Social, já está cadastrando as famílias em situação de risco e verificando quais poderão receber o Aluguel Social.


As famílias proprietárias ou possuidoras de imóveis em situação de risco contarão ainda com outras duas oportunidades para adquirirem uma nova moradia. A prefeita Danuza Bias Fortes também autorizou por meio da Lei Nº 4.397, a doação de lotes pertencentes ao patrimônio municipal, para quem perdeu sua casa.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Mudanças no Atendimento na Santa Casa



Já em fase de implantação, o Cartão Nacional de Saúde é um instrumento que possibilita a vinculação dos procedimentos executados no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Para isso, é necessário que os usuários, profissionais de saúde e unidades de saúde sejam cadastradas. A partir desses cadastros, os usuários do SUS e os profissionais de saúde recebem um cartão número nacional de identificação. 

A implantação do Cartão Nacional de Saúde está prevista desde a Norma Operacional Básica do SUS de 1996. No entanto, a complexidade do projeto fez com que somente em 1999 ele fosse iniciado. O processo de implantação em curso, considerado como projeto piloto, abrange 44 municípios brasileiros e atinge todas as regiões do País, alcançando cerca de 13 milhões de usuários dos SUS. O projeto é financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), por meio do projeto Reforço à Reorganização do SUS (Reforsus). 

O acompanhamento da implantação do projeto Cartão Nacional de Saúde tem sido feito pela equipe do projeto no Ministério da Saúde e pelos interlocutores responsáveis pelo projeto no âmbito dos estados e municípios. Para tanto, o Ministério da Saúde constituiu equipes de trabalho nas áreas de: saúde e informação, treinamento, tecnologia e desenvolvimento, cadastramento e infra-estrutura, além da área de administração do projeto. 

No âmbito municipal foram constituídos os Núcleos de Implantação Local, coordenados pela Secretaria Municipal de Saúde, com participação de representante designado pela Secretaria Estadual de Saúde. 

Já o cadastramento no sistema consiste no processo por meio do qual são identificados os usuários do Sistema Único de Saúde e seus domicílios de residência. Por meio do cadastro será possível a emissão do Cartão Nacional de Saúde para os usuários e a vinculação de cada usuário ao domicílio de residência, permitindo uma maior eficiência na realização das ações de natureza individual e coletiva desenvolvidas nas áreas de abrangência dos serviços de saúde. 

De acordo com o Ministério da Saúde, a realização de um cadastramento domiciliar de base nacional, aliado à possibilidade de manutenção dessa base cadastral atualizada, pode permitir aos gestores do SUS a construção de políticas sociais integradas e intersetoriais (educação, trabalho, assistência social, tributos etc.) nos diversos níveis do governo. 

O Cadastro Nacional de Usuários é o primeiro passo para a implantação do Cartão Nacional de Saúde em todo território nacional, sendo uma ferramenta importante para a consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS), facilitando a gestão do sistema e contribuindo para o aumento da eficiência no atendimento direto ao usuário. 

Já de acordo com a assessoria de comunicação da Santa Casa de Misericórdia de Barbacena, a partir desse mês, quem procurar a Santa Casa, deverá ter em mãos o Cartão Nacional de Saúde, em cumprimento a obrigatoriedade do uso do cartão para atendimentos de unidades hospitalares. O Cartão Nacional de Saúde atende a uma demanda histórica da saúde no Brasil. Ele identifica o indivíduo para garantir a cidadania, coordena informações para humanizar o atendimento e padroniza os procedimentos para democratizar o uso do recurso público. 

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

ENIAC: Muito Tempo Antes do Ipod



O ENIAC (Electronic Numerical Integrator and Computer) foi o primeiro computador digital eletrônico de grande escala. Criado em 1946 pelos cientistas norte-americanos John Eckert e John Mauchly, da Electronic Control Company, ele começou a funcionar no dia 14 de fevereiro do mesmo ano.
O ENIAC começou a ser desenvolvido em 1943 durante a II Guerra Mundial para computar trajetórias táticas que exigissem conhecimento substancial em matemática, mas só se tornou operacional após o final da guerra.
A máquina pesava mais de 30 toneladas, operava na base dez e não em base binária e ocupava 270 m². Sua capacidade de processamento era de 5.000 operações por segundo, possuindo 18.000 válvulas, de 175 Kw de potência.
Diferente dos computadores de hoje, o Eniac não tinha sistema operacional e seu funcionamento era parecido com uma calculadora simples atual e assim como uma calculadora, tinha de ser operado manualmente.
A calculadora efetua os cálculos a partir das teclas pressionadas, fazendo interação direta com o hardware, como no ENIAC, no qual era preciso conectar fios, relês e seqüências de chaves para que se determinasse a tarefa a ser executada. A cada tarefa diferente o processo deveria ser refeito. A resposta era dada por uma seqüencia de lâmpadas.
O primeiro computador digital programável foi o Colossus Mark 1, usado pelos ingleses durante a segunda guerra para decodificar mensagens secretas dos alemães. O Mark 1 foi seguido pelo Colossus Mark 2, que foi o primeiro computador produzido em série. Com dez unidades no total.
O grande problema foi que o Colossus era um projeto secreto. Os investidores não receberam credito e o design não foi aproveitado em outros computadores, o que tornou o Colossus uma pagina isolada na historia que só se tornou publica na década de 70. O ENIAC (Electronic Numerical Integrator and Computer), uma concepção do Professor John Mauchly, conjuntamente com o professor J. Presper Eckert que  propuseram em 1943 ao exército norte-americano, em plena II Guerra Mundial, a construção deste primeiro computador, tendo como objetivo o auxilio nos cálculos de precisão necessários para a balística. Foi anunciada a sua conclusão em 14 de Fevereiro de 1946 e foi patenteado em 26 de Junho de 1947 com o registro nº 3,120,606.


Fonte: Wikipedia

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

A Semana de Arte Moderna



A Semana de Arte Moderna, também chamada de Semana de 22, ocorreu em São Paulo no ano de 1922, nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro, no Teatro Municipal.
Cada dia da semana foi dedicado a um tema: respectivamente, pintura e escultura, poesia, literatura e música.
O presidente do estado de São Paulo à época, Washington Luís, apoiou o movimento, especialmente por meio de René Thiollier, que solicitou patrocínio para trazer os artistas do Rio de Janeiro: Plínio Salgado e Menotti Del Pichia, membros de seu partido, o Partido Republicano Paulista.
A Semana de Arte Moderna representou uma verdadeira renovação de linguagem, na busca de experimentação, na liberdade criadora da ruptura com o passado e até corporal, pois a arte passou então da vanguarda, para o modernismo. O evento marcou época ao apresentar novas ideias e conceitos artísticos, como a poesia através da declamação, que antes era só escrita; a música por meio de concertos, que antes só havia cantores sem acompanhamento de orquestras sinfônicas; e a arte plástica exibida em telas, esculturas e maquetes de arquitetura, com desenhos arrojados e modernos. O adjetivo "novo" passou a ser marcado em todas estas manifestações que propunha algo no mínimo curioso e de interesse.
Participaram da Semana nomes consagrados do modernismo brasileiro, como Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos, Tarsila do Amaral, Tácito de Almeida, Di Cavalcanti entre outros, e como um dos organizadores o intelectual Rubens Borba de Moraes que, entretanto, por estar doente, dela não participou.

Mário de Andrade (primeiro à esquerda, no alto), Rubens Borba de Moraes (sentado, segundo da esquerda para a direita) e outros modernistas em 1922, dentre os quais (não identificados) Tácito, Baby,Mário de Almeida e Guilherme de Almeida e Yan de Almeida Prado
A Semana de Arte Moderna ocorreu em uma época cheia de turbulências políticas, sociais, econômicas e culturais. As novas vanguardas estéticas surgiam e o mundo se espantava com as novas linguagens desprovidas de regras. Alvo de críticas e em parte ignorada, a Semana não foi bem entendida em sua época. A Semana de Arte Moderna se encaixa no contexto da República Velha, controlada pelas oligarquias cafeeiras e pela política do café com leite. O capitalismo crescia no Brasil, consolidando a República e a elite paulista, esta totalmente influenciada pelos padrões estéticos europeus mais tradicionais.
Seu objetivo era renovar o ambiente artístico e cultural da cidade com "a perfeita demonstração do que há em nosso meio em escultura, arquitetura, música e literatura sob o ponto de vista rigorosamente atual", como informava o Correio Paulistano, órgão do partido governista paulista, em 29 de janeiro de 1922.

A nova intelectualidade brasileira dos anos 10-20 viu-se em um momento de necessidade de abandono dos antigos ideais estéticos do século XIX ainda em moda no país. Havia algumas notícias sobre as experiências estéticas que ocorriam na Europa no momento, mas ainda não se tinha certeza do que estava acontecendo e quais seriam os rumos a se tomar.
O principal foco de descontentamento com a ordem estética estabelecida se dava no campo da literatura (e da poesia, em especial). Exemplares do Futurismo italiano chegavam ao país e começavam a influenciar alguns escritores, como Oswald de Andrade e Guilherme de Almeida.
A jovem pintora Anita Malfatti voltava da Europa trazendo a experiência das novas vanguardas, e em 1917 realiza a que foi chamada de primeira exposição modernista brasileira, com influências do cubismo, expressionismo e futurismo. A exposição causa escândalo e é alvo de duras críticas de Monteiro Lobato, o que foi o estopim para que a Semana de Arte Moderna tivesse o sucesso que, com o tempo, ganhou.

Alguns eventos que direta ou indiretamente motivaram a realização da Semana de 1922, mudando as atitudes dos jovens artistas modernistas:
1912. Oswald de Andrade retorna da Europa, impregnado do Futurismo de Marinetti, e afirmando que “estamos atrasados cinquenta anos em cultura, chafurdados ainda em pleno Parnasianismo”.
1913. Lasar Segall, pintor lituano, realiza “a primeira exposição de pintura não acadêmica em nosso país”, nas palavras de Mário de Andrade.
1914. Primeira exposição de pintura de Anita Malfatti, que retorna da Europa trazendo influências pós-impressionistas.
1917. – Mário de Andrade e Oswald de Andrade, os dois grandes líderes da primeira geração de nosso Modernismo, se tornam amigos.
Publicação de Há uma gota de sangue em cada poema; livro de poemas de Mário de Andrade, que utilizou o pseudônimo Mário Sobral para assinar essa obra pacifista, protestando contra a Primeira Guerra Mundial.
Publicação de Moisés e Juca Mulato, poemas regionalistas de Menotti Del Pichia, que conseguem sucesso junto ao público.
Publicação de A cinza das horas, de Manuel Bandeira.
O músico francês Darius Milhaud, que vive no Rio de Janeiro e entusiasma-se com maxixe, samba e os chorinhos de Ernesto Nazareth, se encontra com Villa-Lobos. O então jovem compositor, já impressionado com a descoberta de Stravinski, entra em contato com a moderna música francesa.
Segunda exposição de Anita Malfatti, exibindo quadros expressionistas, criticados com dureza por Monteiro Lobato, no artigo “Paranoia ou mistificação?”, publicado no jornal O Estado de S. Paulo, Esse artigo é considerado o “estopim” de nosso modernismo, já que provocou a união dos jovens artistas, levando-os a discutir a necessidade de divulgar coletivamente o movimento.

1919. Publicação de Carnaval, de Manuel Bandeira, já com versos livres.


Palácio Trianon e Túnel 9 de Julho.
1921. Banquete no Palácio Trianon, em homenagem ao lançamento de As máscaras, de Menotti Del Picchia, Oswald de Andrade faz um discurso, afirmando a chegada da revolução modernista em nosso país.
Exposições de quadros de Vicente do Rego Monteiro, em Recife e no Rio de Janeiro, explorando a temática indígena.
Mostra de desenhos e caricaturas de Di Cavalcanti, denominada “Fantoches da Meia-noite”, na cidade de São Paulo.
Oswald de Andrade, Menotti Del Picchia, Cândido Mota Filho e Mário de Andrade divulgam o Modernismo, em revistas e jornais.
Mário de Andrade escreve a série Os mestres do passado, analisando esteticamente a poesia parnasiana que estava no auge da reputação literária e mostrando a necessidade de superá-la, porque a sua missão já foi cumprida.
Oswald de Andrade publica um artigo sobre os poemas de Mário de Andrade, intitulando-o “O meu poeta futurista”. A partir de então, apesar da recusa de Mário de Andrade em aceitar a designação, a palavra “futurismo” passa a ser utilizada indiscriminadamente para toda e qualquer manifestação de comportamento modernista, em tom na maioria das vezes pejorativo. Em contrapartida, os modernistas
ass:lander os defensores da tradição em geral.

A Semana

Importantes figuras do modernismo, em 1922. Mário de Andrade (sentado), Anita Malfatti (sentada, ao centro) e Zina Aita (à esquerda de Anita).

Da esquerda para a direita: Pagu, Elsie Lessa, Tarsila do Amaral, Anita Malfatti e Eugênia Álvaro Moreyra
A Semana, de uma certa maneira, nada mais foi do que uma ebulição de novas ideias totalmente libertadas, nacionalista em busca de uma identidade própria e de uma maneira mais livre de expressão. Não se tinha, porém, um programa definido: sentia-se muito mais um desejo de experimentar diferentes caminhos do que de definir um único ideal moderno.
13 de fevereiro (Segunda-feira) - Casa cheia, abertura oficial do evento. Espalhadas pelo saguão do Teatro Municipal de São Paulo, várias pinturas e esculturas provocam reações de espanto e repúdio por parte do público. O espetáculo tem início com a confusa conferência de Graça Aranha, intitulada "A emoção estética da Arte Moderna". Tudo transcorreu em certa calma neste dia.
15 de fevereiro (Quarta-feira) - Guiomar Novais era para ser a grande atração da noite. Contra a vontade dos demais artistas modernistas, aproveitou um intervalo do espetáculo para tocar alguns clássicos consagrados, iniciativa aplaudida pelo público. Mas a "atração" dessa noite foi a palestra de Menotti del Picchia sobre a arte estética. Menotti apresenta os novos escritores dos novos tempos e surgem vaias e barulhos diversos (miados, latidos, grunhidos, relinchos…) que se alternam e confundem com aplausos. Quando Ronald de Carvalho lê o poema intitulado Os Sapos de Manuel Bandeira, (poema criticando abertamente o parnasianismo e seus adeptos) o público faz coro atrapalhando a leitura do texto. A noite acaba em algazarra. Ronald teve de declamar o poema pois Bandeira estava impedido de fazê-lo por causa de uma crise de tuberculose.
17 de fevereiro (Sexta-feira) - O dia mais tranquilo da semana, apresentações musicais de Villa-Lobos, com participação de vários músicos. O público em número reduzido, portava-se com mais respeito, até que Villa-Lobos entra de casaca, mas com um pé calçado com um sapato, e outro com chinelo; o público interpreta a atitude como futurista e desrespeitosa e vaia o artista impiedosamente. Mais tarde, o maestro explicaria que não se tratava de modismo e, sim, de um calo inflamado…

Vale ressaltar, que a Semana em si não teve grande importância em sua época, foi com o tempo que ganhou valor histórico ao projetar-se ideologicamente ao longo do século. Devido à falta de um ideário comum a todos os seus participantes, ela desdobrou-se em diversos movimentos diferentes, todos eles declarando levar adiante a sua herança.
Ainda assim, nota-se até as últimas décadas do Século XX a influência da Semana de 1922, principalmente no Tropicalismo e na geração da Lira Paulistana nos anos 70 (Arrigo Barnabé, Itamar Assumpção, entre outros). O próprio nome Lira Paulistana é tirado de uma obra de Mário de Andrade.
Mesmo a Bossa Nova deve muito à turma modernista, pela sua lição peculiar de "antropofagia", traduzindo a influência da música popular norte-americana à linguagem brasileira do samba e do baião.
Entre os movimentos que surgiram na década de 1920, destacam-se:

Movimento Pau-Brasil
Movimento Verde-Amarelo e Grupo da Anta
Movimento antropofágico

A principal forma de divulgação destas novas ideias se dava através das revistas. Entre as que se destacam, encontram-se:

Revista Klaxon
Revista de Antropofagia

Fonte: Wikipedia

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Frevo







Fonte: Guia dos Curiosos


O frevo é um gênero musical genuíno do Recife, em Pernambuco, que passou a ser conhecido no fim do século XIX.
O termo vem de "frever", uma variação popular do verbo "ferver". Com o tempo, virou "eu frevo", e, então, somente "frevo".
A expressão foi oficializado em 9 de fevereiro de 1907, quando a agremiação carnavalesca "Espalhadores do Feitosa" publicou uma nota no "Jornal Pequeno", de Recife, convidando a população para ir ao ensaio do grupo. O anúncio dizia "Olha aí o Frevo". Foi a primeira vez que o termo foi usado para nomear as danças carnavalescas da região.
O frevo nasceu das marchas, maxixes e dobrados executados por bandas militares e civis existentes no Recife na segunda metade do século XIX e começo do século XX, bem como das quadrilhas de origem europeia.
A dança surgiu das acrobacias dos capoeiristas, preocupados em camuflar seus golpes, pois a prática da capoeira era proibida. Eles eram seguidos pelos foliões, que imitavam seus passos.
A "Marcha n°1" foi a primeira canção do gênero reconhecida oficialmente como tal. Muitos consideram a composição de Mathias da Rocha e Joana Batista o marco inicial do frevo.
Na década de 1930, houve a divisão do frevo em frevo de rua, frevo de bloco e frevo-canção. O frevo de rua não tem letra. É feito exclusivamente para ser dançado. Um dos frevos mais conhecidos é "Vassourinhas", de Matias da Rocha.
O frevo-canção, ou marcha-canção, é semelhante às marchinhas dos carnavais cariocas. O de bloco tem origem nas serenatas, preparadas por grupos de jovens que participavam, simultaneamente, dos carnavais de rua da época. Um dos mais conhecidos é o "Evocação nº 1", de Nelson Ferreira.
Em 2007, a prefeitura do Recife lançou o CD "100 Anos de Frevo", uma coletânea com os maiores sucessos do gênero com participação de diversos artistas populares brasileiros como Maria Bethânia, Lenine, Ney Matogrosso e Vanessa da Mata.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Odontologia em Foco: Profilaxia Ajuda a Manter a Boca Mais Sadia.



Fonte: Cimplo

Mencionada pelos Dentistas por este nome técnico de profilaxia (por limpar também embaixo das gengivas) é a maneira de assegurar-se, de tempos em tempos, que a placa bacteriana não está instalada em seus dentes, por limitações de higiene oral, o que chega a originar o tártaro (cálculo). Isto acontece principalmente nas regiões mais difíceis de serem acessadas como a parte do dente que fica embaixo das gengivas, que é justamente onde mais costuma acontecer a formação da placa bacte­riana. Nesta região, além de cáries, poderão acontecer inflamações que levam a gengiva a desgrudar-se do dente, deixando esta área mais vulnerável e permitindo, com isso, que se inicie uma perda do osso que ajuda a sustentar os dentes, junto com os ligamentos que existem ao seu redor. Outra região que costuma acumular placa é a localizada entre os dentes, que é por este motivo, de difícil acesso à escova.


Estas limpezas não substituem as que devem ser feitas quatro vezes ao dia pelo próprio paciente e devem acontecer num prazo maior ou menor, justamente em função da capacidade e dedicação de cada um na limpeza doméstica. Os Dentistas usam como recurso para realizar a profilaxia, um tipo de corante que deixa a região com placa bem evidenciada e lançam mão de recursos mais eficazes tais como um jato de pó de bicarbonato de sódio e um outro com pontas apropriadas que vibram por um aparelho de ultrassom. Além disto eles tem instrumentos chamados de curetas, em formas adequadas para remover placa e tártaro em lugares difíceis, procurando deixar a superfície dos dentes novamente limpa e lisa, de forma que a higiene do paciente volte a ser mais fácil. As limpezas feitas por Dentistas terminam com polimento dos dentes para esta finalidade e para remover manchas causadas pelo fumo e pelos corantes artificiais de balas e alguns alimentos.


A profilaxia ajuda a manter sua boca mais asséptica e sadia, melhorando a sensação agradável de uma boca bem higienizada, fator importante na motivação para a manutenção ideal da saúde bucal. Colabora também no visual de seu sorriso, pois, eliminando manchas e escurecimento dos dentes, a aparência melhora e com ela a vontade de manter os dentes sempre brancos e limpos. A redução da quantidade de bactérias da cavidade bucal com a retirada de placa e tártaro dos dentes, locais onde elas se concentram, diminui a chance de elas se espalharem para outras partes do corpo, onde podem ser também nocivas, como na corrente s angüínea, causando a endocardite bacteriana com riscos de enfar­te. Tudo isso sem mencionar o benefício imediato que é a diminuição do número de cáries, consequência primeira de presença da placa bacteriana.


Como a formação da placa é um processo lento, progressivo e quase imperceptível, não existe um momento certo ou mais adequado para a realização da limpeza profilática. Para evitar as consequências da placa, o certo é realizar visitas, a cada período de seis meses, ao seu Dentista. Não tendo outro tratamento por realizar, boa iniciativa é aproveitar esta visita para fazer uma profilaxia. É coisa rápida, de baixo custo e com efeitos perceptíveis imediatamente, pois dá à sua boca uma sensação de limpeza e frescor. O seu Dentista, além de capacitado, é o mais indicado para realizar esta limpeza e definir por seus cuidados de higienização, definindo qual a periodicidade ideal para as próximas consultas e profilaxias.


De todos os procedimentos odontológicos, a limpeza é o mais barato, um dos mais preventivos e maneira segura de saber se você tem algum outro tratamento nos dentes por realizar.

Quer saber mais sobre profilaxia e cuidados com os dentes? Então visite a Cimplo - Centro de Implantes e Ortondontia -  no Plaza Shopping, em Barbacena. Tel: (32)3331-7117

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Morre o Cantor Wando

Fonte: globo.com




O cantor Wando morreu aos 66 anos na manhã desta quarta-feira (8) no Biocor Instituto, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde estava internado desde o dia 27 de janeiro. A informação é do médico particular dele, João Carlos de Souza Dionísio. Segundo o médico, ele teve uma parada cardiorrespiratória às 8h desta quarta-feira (8).

Como letrista, Wando ficou célebre por composições de teor romântico e erótico. Sua marca registrada era a calcinha. Em depoimento disponível em seu site oficial, o próprio cantor conta como tudo teria começado, explicando que a peça foi uma espécie de fonte de inspiração para seu álbum “Tenda dos prazeres” (1990). “Uma calcinha de cabeça pra baixo, ela vira uma tenda, não é? Aí, coloquei uma calcinha na capa do disco, e essa coisa fez tanto sucesso, que até hoje eu não consigo tirar do show. Eu distribuo calcinhas e recebo, tenho uma coleção muito grande, de todas as formas, jeito, cores e tamanhos.”

No mesmo depoimento, Wando aborda outras estratégias que adotou ao longo da carreira: “Teve uma época [em] que eu mordia a maçã no palco, e continuo mordendo ainda, porque conta a história de como é que começou o pecado, não é?”. As alusões ao sexo prosseguiram, com distribuição de convites de motel – sempre durante apresentações ao vivo. “Teve uma época no Canecão [casa de shows do Rio de Janeiro, atualmente inativa] que a gente botou uma banheira no palco, eu botava uma mulher nua no palco. Eu sempre gostei desses negócios.”

“E aí eu descobri que não era legal o violão clássico para o que eu queria: eu queria tocar pras moças, né?”, afirma. “O violão clássico é bacana, mas elas [as mulheres], acho que ficavam um pouquinho entediadas. Descobri que eu tinha que fazer umas canções de amor. Comecei a sentir que era legal, que a música socialmente com a parte feminina dava muito certo, me apaixonei por aquele negócio.”

Vanderley Alves dos Reis nasceu em 2 de outubro de 1945 – “num arraial chamado Bom Jardim [em Minas Gerais]”. Lá, ficava a fazenda que teria pertencido aos seus avós. Seu registro, no entanto, foi feito na cidade de Cajuri, no mesmo estado. Ele conta que, ainda criança, mudou-se para Juiz de Fora (MG), onde concluiu o antigo primário. Mais tarde, ele foi para Volta Redonda (RJ), “onde eu entreguei leite nas casas, vendi jornal, virei feirante, dirigi caminhão na estrada”. Na mesma época, passou a se interessar por música, tendo inicialmente se dedicado ao estudo do “violão clássico”.

Após deixar a profissão de feirante, Wando mudou-se para Congonhas (MG). Lá, começou a “viver de música”, como integrante de um conjunto chamado “Escaravelhos” – “escaravelho pra quem não sabe, é um besouro, a mesma coisa que Beatles”. Cinco anos mais tarde, decidiu tentar a sorte no “eixo Rio de Janeiro – São Paulo”. Frustrada a passagem pelo Rio, chegou a São Paulo, onde teve gravado seu primeiro sucesso, na voz de Jair Rodrigues. A composição, “O importante é ser fevereiro”, teria sido “uma música muito tocada no carnaval de 1974”, lembrou-se Wando.

A canção integra o disco de estreia de Wando, “Gloria a Deus e samba na Terra” (1973). De acordo com ele, aquele trabalho seguia a linha “do formato do Caetano Veloso, do Chico Buarque de Holanda, Gilberto Gil”. A guinada em direção ao repertório romântico foi simbolizada pela música “Moça”, do disco seguinte, “Wando” (1975). A justificativa: “Cantando na noite em São Paulo, eu descobri que a parte feminina adorava quando eu tocava música romântica.”

Ao longo da década seguinte, Wando consolidaria a reputação, como ele mesmo lista, de “obsceno, o cara da maçã, o cara da calcinha”. É desse período, quando o cantor já vivia no Rio de Janeiro, sua música mais conhecida, “Fogo e paixão”, do disco “O mundo romântico de Wando” (1988), o 14º da carreira, segundo a contagem do site oficial. Ele foi precedido por trabalhos como “Gosto de maçã” (1978), “Gazela” (1979), “Fantasia noturna” (1982), “Vulgar e comum é não morrer de amor” (1985) e “Ui – Wando paixão” (1986). Na sequência, viriam, dentre outros, “Obsceno” (1988), “Depois da cama” (1992) e “O ponto G da história” (1996).

Entre álbuns de estúdio e registros ao vivo, o site de Wando contabiliza 28 trabalhos, ao todo. O cantor acreditava ter vendido dez milhões de discos – “até na época que a gente contava”. “Depois [houve] a história da pirataria, que acabou me fazendo muito mais popular. Eu acho que a pirataria é ruim para um lado, para o lado compositor, mas para o lado intérprete, o cara que faz show, eu acho que ela favoreceu muito.”

Em entrevista à Agência Estado, em 2007, Wando comentou sua imagem de “sedutor”: “Na verdade, eu sou como um ator. Até porque eu estaria morto hoje se fosse mesmo assim. Isso é um personagem, naturalmente. É normal que as pessoas pensem que eu sou desse jeito, mas não deixo que as pessoas alimentem muito essa imagem”. Sobre a fama de brega, ele respondeu que incomodou e seguia incomodando. “Quando as pessoas falam de brega, sempre se referem a uma coisa ruim. Então eu brigo por isso. Agora, eles até quiseram colocar o brega como uma coisa bacana, mas eu acho que é uma forma de pedir desculpa, e isso é mau. Se for ver, você tem que chamar o Chico Buarque de brega, a Maria Bethânia, o Caetano Veloso, o Gilberto Gil. Eles gravaram as músicas que a gente grava. Eles gravam melhor? Não. Isso foi uma coisa cruel que eles fizeram.”

Na entrevista, Wando também comentava a música “Emoções”, gravada em 1978, que ele dizia versar sobre a relação entre dois homens: “Fiz isso porque acho que o relacionamento masculino é uma coisa válida. Não por ter aderido, mas porque eu tenho amigos que vivem esse tipo de coisa”.

Recentemente, o nome de Wando vinha sendo lembrado graças ao documentário “Vou rifar meu coração”, de Ana Rieper, que vem frequentando o circuito dos principais festivais de cinema do país desde alguns meses atrás. Há pouco tempo, teve boa recepção na Mostra de Cinema de Tiradentes, encerrada no último dia 28. O filme trata justamente da música tida como “brega” e traz depoimentos de cantores como Amado Batista, Nelson Ned, Agnaldo Timóteo, Peninha, além de Wando e de ouvintes que contam suas histórias com obras do “gênero”.

Relembre o grande sucesso desse cantor que marcou gerações e a música brasileira: "Fogo e Paixão."

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Você Sabe o Que É Chia?



Uma novidade arrebatadora vem chamando a atenção de quem está sempre de olho em novas opções emagrecedoras: a chia é um alimento funcional popular entre os povos pré-colombianos há muitos anos, que está chegando ao Brasil com força total especialmente devido às características de suas sementes, que são ricas em fibras solúveis e insolúveis.



A Chia é uma semente originária do México e foi muito utilizada pelos astecas, mexicanos e habitantes do Sul da Califórnia e do Arizona como suplemento alimentar para aumentar a resistência, a energia e a força necessária sob condições extremas como o calor intenso, a escassez de água e alimentos.


É também grande fonte de vitaminas e minerais como cálcio, fósforo, magnésio, potássio, ferro, zinco e cobre além de possuir fibra, proteína, antioxidantes como o ácido caféico e o ácido clorogênico e, principalmente, o ômega 3 presente em cada porção.




A principal vantagem da semente de chia está em sua capacidade de “inchar” quando em contato com a água, formando uma espécie de gelatina que auxilia o bom funcionamento do intestino, ajudando em sua regulação, e potencializa a absorção de nutrientes pelo organismo. Outro diferencial da poderosa sementinha é que ela ajuda a aumentar a sensação de saciedade durante as refeições e faz com que quem a consome demore mais tempo para ficar com fome novamente.



A chia pode ser adicionada a iogurtes, sucos, vitaminas, saladas e sopas, além de outras receitas, e vale lembrar que é uma excelente fonte de ômega-3, que ajuda a regular os níveis de colesterol ruim e triglicerídeos no sangue, contando ainda com cálcio, importante para a saúde dos ossos, ferro, que afasta riscos de anemia, e magnésio, que atua na construção óssea, muscular e é excelente para o funcionamento do cérebro, já que age nas área do humor, concentração e no combate ao estresse.



A quantidade indicada pelos nutricionistas para o consumo é de duas colheres de sopa (30 gramas), o que equivale a 140 calorias e possui 29% de fibras (8,6g) e 16% de ômega 3 (4,8g) e deve ser ingerida 30 minutos antes de duas das suas principais refeições diárias (café da manhã, almoço ou jantar).


Visite a Farmácia Magistral, na Praça do Rosário, e conheça mais sobre a Chia.
Farmácia Magistral, tel:3333-0594

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Jucemg Agora em Barbacena.



As pessoas que desejam abrir ou fechar uma empresa ou que necessitem fazer uma alteração no seu contrato social não vão precisar mais ter que se deslocarem para outras cidades para sanar sua necessidade. Será aberto em Barbacena uma unidade do Minas Fácil que é um serviço prestado pela Jucemg (Junta Comercial do Estado de Minas Gerais) em parceria com diversos órgãos.


Ao constatar a grande necessidade do município em ter um escritório da Jucemg, a Prefeitura de Barbacena, através da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio, aproveitou o Programa Minas Fácil do Governo do Estado e pleiteou uma unidade para a cidade, uma grande conquista que trará mais comodidade para a classe empresarial.


A Jucemg estará funcionando nas dependências da UAI (Unidade de Atendimento Integrado), das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira, a partir do mês de fevereiro.


“A implantação da Jucemg em nosso município significa, além de uma maior integração com todos os órgãos envolvidos com o processo de abertura e fechamento de empresa, uma celeridade recorde na emissão de todos os documentos que regularizam o funcionamento de uma empresa. Buscaremos o prazo de oito dias para a conclusão de qualquer processo a exemplo do que já ocorre em outros municípios do Estado de Minas Gerais”, pontuou Leonardo Carvalho, secretário Municipal de Indústria e Comércio.


Será um trabalho desenvolvido numa integração com os setores da Prefeitura Municipal, de forma que os alvarás de funcionamento sejam emitidos em um prazo de no máximo oito dias, além disso, o empreendedor não poderá mais emitir seu CNPJ e a sua Inscrição Estadual sem a anuência da Prefeitura Municipal, que irá, concomitantemente, realizar os procedimentos para a emissão do alvará de funcionamento.


Para o funcionamento da Junta Comercial em Barbacena, a Prefeitura Municipal fornecerá os funcionários e a Jucemg todos os equipamentos e a logística de trabalho.
Desta forma, os empreendimentos devem, a partir deste momento, se submeter ao escritório de Barbacena.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Senac de Barbacena oferece Curso de MBA em Hotelaria



O Senac de Barbacena oferece curso de MBA em Hotelaria. As inscrições já estão abertas, são 25 vagas, com carga horária total de 815 horas, duração de 18 meses e o curso será nas sextas e sábados, no Centro de Formação Profissional de Barbacena, Hotel - Escola SENAC Grogotó, e em Empresas apropriadas para o estágio, de acordo com a Habilitação escolhida.


Vale ressaltar que em virtude dos eventos que o País irá sediar, Copa do Mundo de Futebol e as Olimpíadas, certamente o mercado irá exigir pessoas com qualificação diferenciada, então os profissionais interessados na área já devem procurar se especializar, e o Curso do Senac torna-se então uma excelente opção. O objetivo desse MBA em Hotelaria é preparar especialistas em Administração Hoteleira, através do desenvolvimento de competências técnicas, tecnológicas e gerenciais próprias das áreas.


Público alvo: Graduados e Tecnólogos em Administração, Turismo, Hotelaria, e áreas afins. Profissionais atuantes em meios de hospedagem ou serviço de A/B, com qualquer graduação.


Matrículas: 27/02/2012 A 02/03/2012
Início das aulas: 03/03/2012 e previsão de término Setembro de 2013.


As disciplinas, metodologia, tempo de duração, investimento e qualquer tipo de informação sobre o Curso estão disponíveis no site do Senac - www.mg.senac.br - ou pelos telefones (32) 3339-3110 / 3339-3113, e-mails gmjbar@yahoo.com.br, luzia@mg.senac.br.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Financiamento de Veículos: Facilidade ou Dor de Cabeça?



O Poder Judiciário está decidindo pela ilegalidade das cobranças indevidas nos financiamentos de veículos e determinando o reajustamento dos contratos. Assim, é possível reduzir as taxas ilegais praticadas e o valor das parcelas a serem pagas. 

A Folha de Negócios, buscando esclarecer dúvidas quanto ao tema, entrevistou o Dr. Felipe Dias Costa, que explica como se defender das cobranças indevidas e juros abusivos praticados pelos bancos nos financiamentos de veículos. O Dr. Felipe atua no escritório Brettas e Reis Advogados. 

JFN: Qual é a medida judicial cabível? 

Dr. Felipe: Neste caso, a medida judicial cabível é uma Ação Revisional de Contrato. É um processo judicial no qual o consumidor solicita ao juiz que revise as cláusulas abusivas em seu contrato bancário de financiamento. 

JFN: O que pode ser efetivamente revisado no contrato? 

Dr. Felipe: As instituições Financeiras aplicam nestes contratos os juros capitalizados mensalmente, além de inserir taxas abusivas tais como: TAC (taxa de abertura de crédito), TCC (taxa de confecção de cadastro), serviços de terceiros, inclusão de gravame eletrônico, promotora de vendas, seguro sobre proteção financeira sem ônus do consumidor, boleto bancário, além de outras. 

JFN: Os Bancos cumprem a taxa de juros indicada na negociação? 

Dr. Felipe: Na maioria dos casos não! Nestes casos os juros são muito acima do contratado. Vamos a um exemplo: Se o consumidor contrata em um financiamento uma taxa de 1,5% ao mês, tais valores em um ano perfazem 18%. Mas ao se fazer os cálculos, podem chegar até 30% ao ano, onerando em demasia o contrato. 

JFN: Como funciona essa ação revisional? 

Dr. Felipe: É uma ação simples, na qual o consumidor busca a revisão das cláusulas leoninas, ou seja, as cláusulas contratuais que estabeleçam obrigações abusivas e que coloquem o consumidor em desvantagem exagerada. 

JFN: Você pode nos dar um exemplo concreto das reduções conseguidas judicialmente? 

Dr. Felipe: Comprou um carro no valor de R$26.500,00, com taxa ao mês de 1,91%, em 60X de R$752,19, no final do financiamento, o banco receberia o valor total de R$45.131,40. Fazendo-se a revisão do contrato, retirando os juros capitalizados e adequando o mesmo ao Código de Defesa do Consumidor, cada parcela passaria para R$667,28, ou seja, com uma diferença de R$84,91. Em 60X, perfazem o valor de R$5.094,60. Vale lembrar que além dos juros, os contratos são acrescidos de diversas taxas abusivas. 

JFN: É possível ingressar com a Ação Revisional e fazer algum acordo com os Bancos? 

Dr. Felipe: Inclusive. Existe também tal possibilidade. Um exemplo disso seria um consumidor que deve R$15.000,00 em parcelas do seu contrato e após ingressar com a ação revisional paga, através de um acordo de quitação, o valor de R$5000,00. Vale lembrar que os valores de quitação podem ser divididos. 

JFN: Ao consumidor que já quitou o seu contrato de financiamento, é possível reaver os valores abusivos? 

Dr. Felipe: Perfeitamente. A legislação brasileira permite tal restituição com prescrição no prazo de 03 anos, ou seja, o consumidor após o pagamento da última parcela, tem 03 anos para ingressar com ação e requerer tal restituição dos valores cobrados anteriormente de forma abusiva. 

JFN: Enfim, o consumidor deve temer pelo ajuizamento de tal ação revisional? Os Bancos dificultam novos financiamentos feitos pelo consumidor que ingressou com tal ação? 

Dr. Felipe: Não. As Instituições Financeiras não podem negar crédito ao consumidor que tem o seu nome limpo (sem estar incluído no SPC e SERASA) e que possui contracheque ou extratos bancários compatíveis com a compra. 

Importante lembrar que, a negativa do crédito sem motivo apresentado pela Instituição Financeira gera uma nova ação de dano moral contra a mesma.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Tucson: Fenômeno de Vendas nos EUA e Brasil



Ideal Sport Utility de médio porte, excelente desempenho na cidade e na estrada, versátil e muito bem equipado, esse SUV é o Tucson. O veículo oferece equipamentos de série desde sua versão simples até a mais sofisticada para você que faz questão de espaço, conforto e muita praticidade. 

O Tucson oferece vidros e retrovisores com acionamento elétrico, porta objetos, porta copos, descansa braços, console central para armazenamento de pequenos objetos. Conjunto de acessórios e equipamentos, começando pelo ar condicionado analógico com filtro anti-pólem, key-less e rack no teto. 

Amplo espaço interno, sistema modular de bancos que permite várias configurações. Console no teto, controle de tração, acesso ao porta malas também pelo escamoteamento do vigia traseiro. 

O Tucson oferece também um espaço ideal para aqueles que necessitam de espaço para suas bagagens sem abrir mão de seu conforto, rebatendo os bancos traseiros, você pode contar com um volume de 1856 litros para levar o que você quiser. Fenômeno de vendas nos Estados Unidos, o Tucson também se sai bem por aqui. No ano passado, a Hyundai vendeu 3564 unidades do Tucson no Brasil, enquanto a Toyota comercializou 786 RAV4 e a Honda, 623 CR-V. A Kia vendeu 270 Sportage. Com seu design moderno - com linhas angulosas que o fazem parecer menor do que é -, o Tucson caiu nas graças do consumidor. Também ajuda o pacote de equipamentos de série, que o deixa com uma atraente relação custo/benefício. Essa vantagem foi o que desempatou o jogo a seu favor, frente ao Sportage. 

Ao volante, o Tucson é um carro confortável, que apresenta rodar macio e silencioso e desempenho de sedã de luxo. O sistema de tração para as quatro rodas, em situações normais, opera no regime 4x2, enviando todo o torque do motor para as rodas dianteiras. No caso de ocorrer qualquer variação de aderência, ele pode dividir a força para as rodas traseiras de acordo com a necessidade de tração. No painel, o motorista encontra uma tecla de bloqueio do diferencial que divide o torque em 50% para cada eixo. 

Em relação à pós-venda, a garantia oferecida pela fábrica, pelo prazo de cinco anos, é uma das maiores do mercado. Mais informações sobre o Hyundai Tucson, na Toksu Barbacena, à avenida Governador Bias Fortes, nº 1434, próximo a rodoviária, telefone 3339-6300. De acordo com Cândido Froes, gerente comercial de vendas da Hyundai Toksu de Barbacena, a Tosku está com preços especiais para o Tucson, para o mês de fevereiro, bem como condições diferenciadas.